quarta-feira, 23 de março de 2016

A madeira do corpo tem influência no som da guitarra ?! (I)

Olá !

Está tudo muito bem, tudo muito bom mas vamos trabalhar ! O ritmo das postagens tem diminuído um pouco em função de que a temática do Blog está se esgotando, ou seja, quase todos os assuntos de interesse dos iniciantes já foram abordados !

Mas... O mundo da guitarra é sempre cheio de detalhes, nesse ano vamos abordar os temas "polêmicos", aqueles que dividem opiniões e, não raro, causam brigas em comunidades e fóruns de guitarristas !

E o assunto é.... Olhaaa elaaaa, a madeira do corpo, qual a sua influência no som do instrumento !

Em primeiro lugar, se você é um pouco newbie no assunto, peço que leia esse post aqui, vai ajudar bastante a ter uma boa base no assunto. Já leu ? Então vamos lá !

A mítica da madeira

Nós, seres humanos, temos uma relação muito antiga com a madeira e os objetos que dela são feitos, é nosso berço, o nosso caixão, a cruz, a cadeira, a mesa...

Em algumas culturas, as árvores e a madeira são consideradas mesmo como dotadas de propriedades mágicas, afinal, é um pedaço de um ser vivo...


A madeira e os instrumentos musicais

O primeiro instrumento musical da humanidade deve ter sido um tronco de árvore que um homem das cavernas começou a "batucar" e tirar um som...

De lá para cá, muitos instrumentos foram e são feitos de madeira, não só instrumento de cordas mas também da família de sopros, percussão ou mesmo no gabinete de pianos.

Alguns luthiers fizeram instrumentos muito famosos, como os violinos Stradvarius. Grande parte da qualidade desses instrumentos é atribuída as madeiras utilizadas e também ao processo de tratamento, preparo e maturação que essas madeiras eram submetidas.

Nesse ponto então, podemos compreender a qualidade do madeiramento através da seguinte equação:

Qualidade = escolha da madeira + processo


A madeira e os instrumentos acústicos, semi-acústicos e semi-sólidos

Em um violão, o corpo do instrumento tem um papel importantíssimo, ele vai atuar como uma caixa de ressonância, repercutindo as frequências de vibração das cordas, projetando o som e mesmo equalizando essas frequências, definindo assim o timbre característico do instrumento.

É óbvio então que a madeira do corpo (e os processos de preparação), e , ainda, as técnicas de construção e projeto têm uma influência absurda no som final do instrumento, ninguém em sã consciência pode duvidar disso...

O mesmo pode ser dito com relação as madeiras utilizadas no braço, já que além de vibrar junto com o corpo. a madeira da escala do braço tem uma influência muito grande no timbre, já que recebe a extremidade da corda pressionada pelos dedos do guitarrista.

O mesmo raciocínio acima pode ser aplicado, ainda que em menor intensidade, para os instrumentos semiacúticos, e também aos semisólidos, sendo que nesses últimos a madeira influenciará menos ainda na sonoridade final.


A madeira e os instrumentos elétricos de corpo sólido

Muito bem, chegamos ao nosso ponto de discussão, como fica o madeiramento nas guitarras e baixos de corpo sólido ?

Primeiramente, deve ser dito que a discussão gira em torno da madeira do corpo, já que a influência da madeira do braço e da escala são tão evidentes que ninguém (ou quase) duvida da sua influência, é uma coisa óbvia...

Mas com relação a madeira do corpo existe muita polêmica, isso porque o processo de geração de som em um instrumento elétrico acontece pela perturbação que as cordas de metal causam no campo eletromagnético dos captadores. Leia esse post aqui para aprender mais sobre captadores.

Bem, em uma guitarra semiacústica, teoricamente, o corpo também funciona como uma caixa de vibração, isso quer dizer que assim como a corda de move em relação ao captador e produz som, o captador também se move em relação à corda (por causa da vibração do corpo, ao qual o captador está fixado), então, apesar da produção do som ser um processo eletromagnético, a vibração física da caixa, que depende da madeira, influencia no processo, logo, a madeira influencia (e muito !) nesses instrumentos...

Mas... e nas guitarras sólidas ?... Influencia ou não ?!

A resposta estará na parte II do artigo que publicarei em breve !

PS: Podem comentar a vontade, a favor ou contra, só vou pedir que não postem aqueles vídeos que circulam na internet, com "testes", comparações, etc, são de doer, em especial um certo experimento acadêmico mas depois vamos discutir isso !

Abç!

Mad

5 comentários:

  1. Olá!
    Tenho uma Condor RX20s, corpo em basswood. Tirei o corpo dela e no lugar dele coloquei um corpo de uma SX Sst57, em Alder Chinês. O que aconteceu foi que o som da guitarra ficou mais vivo e os médios aumentaram MUITO.
    Se a madeira do corpo influencia no som? Eu não tenho a menor dúvida: SIM!
    Excelente blog! Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. blz, nos próximos artigos vamos discutir essa questão do basswood x alder !

      Excluir
  2. Putz, ansioso para ler a conclusão. Parabéns, excelente idéia para post! Meus 50 cents:
    Fanatismos e purismos à parte (e os há para todos os gostos), já ouvi de mais de um luthier (inclusive famoso) que o tipo da madeira do corpo em si ou a quantidade de peças de que é feito influencia muito pouco ou NADA na sonoridade de guitarras elétricas de corpo sólido, uma vez que o captador é completamente isolado deste corpo.
    Segundo entendi, o corpo ser de mogno, ash, alder, maple, basswood, jacarandá, pau-rosa, acrílico ou mesmo mdf (nessa ordem?), ser de peça única ou oriundo de colagem de vários pedaços, influencia muito menos ou NADA em relação às cordas (calibre, marca, material, tipo, etc.), os captadores (ALNICO/cerâmicos), parte elétrica, ferragens/bloco, o braço ser colado (lespas) ou parafusado (stratos, teles), e a madeira usada nos braços e principalmente escala (já que esta última entra em contato com as cordas). Mais ou menos nesta ordem.
    Segundo dizem, até a idade da madeira influencia muito mais que sua espécie (ex: um corpo “fatiado” de alder de 1950 soará melhor que um inteiriço de mogno de hoje).
    Inclusive já li que essa polêmica é artificialmente sustentada pelas duas “grandes” Gibson e Fender, que a utilizam para supervalorizar o preço de suas guitarras de topo em relação às demais fabricantes já que, por adquirirem em grandes quantidades, conseguem acesso mais fácil e barato a estas melhores madeiras.
    De minha parte, particularmente, PAGO para ver uma pessoa comum diferenciar exclusivamente pelo som um tipo de madeira de outro.
    De qualquer maneira tenho para mim que o que mais influencia o som de uma guitarra é o “tocador”.
    Mas aguardo a conclusão para saber sua opinião.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Blz, vamos discutir isso no seguimento do artigo!

      Excluir