domingo, 2 de dezembro de 2012

O braço da guitarra ! (Comprando uma guitarra Parte V)

Olha "nóis" aqui de novo ! Nesse post, vamos dar continuidade a série de postagens sobre as coisas mais importantes a se considerar quando vamos comprar uma guitarra. Se você não leu as partes anteriores, pode aces-las pelos links abaixo:

Parte I
Parte II
Parte III
Parte IV

Também recomendo que você dê uma olhada no nosso Tutorial sobre partes de uma guitarra elétrica, caso tenha alguma dúvida sobre o assunto.


Na última parte dos artigo, vimos a questão da importância da madeira do corpo da guitarra. Chegou a hora de discutirmos o aspecto mais importante de um instrumento de cordas, o braço !

O braço é o quesito mais importante da guitarra por vários motivos, dentre os quais os seguintes:

  • A afinação das notas depende do braço ter as medidas corretas e ter os trastes colocados nos lugares exatos;
  • As madeiras utilizadas na confecção do braço são mais determinantes na sonoridade final do instrumento do que as madeiras usadas do corpo;
  • Um braço confortável é o item mais importante para um músico, tem influência direta na execução e na técnica do guitarrista e facilita muito a fase do aprendizado;
  • Problemas com o braço são os mais difíceis de resolver, então o ideal é evitar comprar uma guitarra que tenha esses problemas.
Vamos então estudar e compreender essa parte tão importante do nosso instrumento. De cara, vou avisando que o braço da guitarra é uma coisa muito mais complexa do que imaginamos quando somos iniciantes. Isso porque, além dos aspectos de construção, temos as variáveis relativas aos ajustes e regulagens do braço. Não pense no braço como um pedaço de madeira, melhor imaginá-lo como uma coisa VIVA !

Na verdade o braço da guitarra é um sistema mecânico, onde as seguintes partes trabalham em conjunto:
  • A madeira;
  • As cordas;
  • O tensor;
  • Os trastes.
Se não entendermos como esse sistema mecânico funciona, jamais vamos compreender corretamente o funcionamento da guitarra. Existe um profissional capacitado para efetuar os ajustes e regulagens necessárias no braço do instrumento, que é o Luthier (vou escrever em breve um post sobre a importância de se levar a guitarra para ser regulada). Ele pode deixar a nossa guitarra perfeitamente regulada mas é importante que o músico saiba como as coisas funcionam, até mesmo para poder relatar os problemas ao Luthier. Dos elementos acima, o que deve ser mais misterioso para o inciante é o TENSOR, então vale a pena dar uma explicação sobre ele, embora vamos voltar a este assunto no futuro.

Como funciona o tensor do braço da guitarra

A madeira é um material flexível, que se verga quando tensionado. A melhor imagem para isso é o arco utilizado para flexas, veja:


Na guitarra, acontece exatamente a mesma coisa, a madeira do braço tende a se curvar pela tensão das cordas, formando uma concavidade, evidentemente menos pronunciada do que a do arco acima, mas ainda assim perceptível visualmente, principalmente quando olhamos o braço a partir da ponte da guitarra, como na foto abaixo:

Observando a curvatura do braço

Muito bem, mas não interessa uma guitarra com o braço extremamente côncavo. As cordas ficariam extremamente "altas" em relação a escala e a execução seria muito desconfortável. A grande maioria dos guitarristas prefere que o braço da guitarra fique quase reto, apenas com uma ligeira concavidade (o quanto é essa "ligeira concavidade" é um gosto pessoal que varia de músico para músico !). 

Para que a curvatura do braço da guitarra possa ser ajustada no grau correto, se faz necessário que exista um segundo elemento que promova uma força mecânica "puxando" o braço no sentido contrário ao que as cordas puxam, ou seja, uma força agindo na direção que tornaria a curvatura do braço "convexa". Esse elemento é o tensor, que é uma barra de metal existente no interior do braço e que possui uma rosca de ajuste para regular a força que exerce. Veja:

Tensor do braço

Na maioria das guitarras, essa rosca (ajustável através de uma chave sextavada) se encontra no headstock. Em algumas guitarras de braço parafusado que seguem o padrão "vintage" das primeiras stratocasters e telecasters, esse ajuste é feito no final da escala e exige a retirada do braço para o ajuste, o que é uma desvantagem. Veja essa imagem (original do excelente blog de Alan Ratcliffe: http://ratcliffe.co.za) do ajuste do tensor de uma strat (acesso pelo headstock) com uma chave sextavada:

Ajuste do tensor


E como se ajusta o tensor ? O iniciante NÃO DEVE TENTAR AJUSTAR O TENSOR ! Isso porque se o ajuste for feito da maneira errada, pode quebrar o tensor ou mesmo arruinar o braço. O Luthier é o profissional capacitado para fazer ajuste. Após alguns anos de experiência, o guitarrista pode aprender a mexer no tensor, existem muitos tutoriais e vídeos ensinando isso mas por ora, não é recomendável de jeito nenhum tentar fazer isso ! O importante nesse momento é entender como o tensor funciona e para que serve !

Agora que já sabemos o que é o tensor, se formos comprar uma guitarra elétrica, um baixo ou um violão de cordas de aço, podemos exigir que esse instrumento... tenha um tensor ! Sim, pois por incrível que pareça existem (hoje felizmente muito poucos) instrumentos fabricados sem tensor. Embora muitos violões com corda de nylon não tenham tensor (não precisam, já que a tensão das cordas é menor), o tensor é obrigatório em instrumentos que usam cordas de aço, como exceção de alguns instrumentos que utilizam materiais especiais, como braços feitos de grafite, mas esses são muito raros. Guitarra com cordas de aço sem tensor é uma coisa imprestável que nem de graça deveríamos querer !

Braço colado ou braço parafusado ?


Quando estudamos os modelos Stratocaster e Les Paul nos posts anteriores, vimos que existem guitarras com o braço colado e com braço parafusado. São propostas de construção diferentes, não quer dizer que uma é melhor do que a outra, de uma maneira geral, o braço colado favorece o "sustain" das notas, já o braço parafusado é associado à sonoridade "estalada" dos modelos Stratocaster e Telecaster. No entanto, devemos atentar que a construção com braço parafusado é menos sujeita a problemas do que os braços colados. Isso porque primeiramente, quando o braço é parafusado pode ser facilmente removido para reparos e ajustes, ou, na pior das hipóteses, pode ser substituído por um braço de reposição. Já  o braço colado não pode ser removido sem danificar a pintura e o acabamento da guitarra, o que torna os reparos mais caros e dificultosos. Isso não quer dizer que você tenha que comprar uma guitarra com braço parafusado mas, se for escolher um modelo com braço colado, como as Les Pauls ou SGs, tome cuidado redobrado para evitar comprar uma guitarra com problemas no braço.

O que olhar no braço da guitarra na hora da compra ?


É muito difícil para o iniciante avaliar se o braço da guitarra tem algum problema na hora da compra. Em primeiro lugar, ele não tem a experiência necessária para identificar problemas. Depois, é quase 100% de certeza que a guitarra que está na loja está completamente desregulada. Como é que é ??!! Sim, é isso mesmo ! Os instrumentos saem de fábrica apenas com uma regulagem superficial, ou nem isso e também as lojas não se preocupam com esse aspecto. Por isso, é importante levar a guitarra para um Luthier regulá-la assim que comprar ! Como a guitarra estará desregulada, fica difícil fazer uma avaliação correta do braço. No entanto, alguns problemas podem ser identificados:

  • Braço feito com madeira verde: muito comum, mas muito comum em guitarras fabricadas no Brasil, em especial as que têm o braço feito com pau-marfim. Isso não quer dizer que toda guitarra com braço de pau-marfim tenha esse problema, a madeira quando corretamente seca não encolhe mas recomendo muita atenção se você for comprar um modelo assim. Como se identifica ? Não é difícil: quando o braço é feito de madeira verde, após um tempo (possivelmente a guitarra ainda nem foi vendida) a madeira "encolhe". E quando encolhe, os trastes "sobram", já que como são de metal, mantém seu comprimento, já a madeira "encolhe" e o braço fica mais estreito. Quando isso acontece, a ponta dos trastes "sobra", ou seja a ponta dos trastes si para fora do braço. Então, basta passar os dedos ao longo das laterais do braço, conforme indicado na figura abaixo. Se sentir a ponta dos trastes "espetando" (ou mesmo machucando !) seus dedos, não compre jamais essa guitarra, possivelmente o braço foi feito com madeira verde e encolheu !!!
Passando a mão ao longo do braço 

  • Braço torcido, braço empenado, etc: aqui, vamos precisar discutir questões semânticas primeiro, rs... Quando estudamos a atuação do tensor há pouco, vimos que o braço apresenta um grau de "concavidade". Essa concavidade é chamada por alguns músicos e Luthiers como "empenamento" do braço. Não gosto desse termo, pois "empenamento" tem um sentido de "problema" e a concavidade do braço é perfeitamente normal, desde que consigamos regulá-la para o nível ideal através do tensor. Então, quando pegamos uma guitarra na loja (que está desregulada, lembre-se), é normal observarmos (quando posicionamos a guitarra frente aos olhos como na primeira foto desses artigo) uma certa concavidade do braço. No entanto, mesmo observando a concavidade da escala, os trastes devem estar paralelos. Do contrário, o braço pode ter sofrido uma "torção", nesse caso, a atuação do tensor não consegue corrigir o defeito e esse braço dificilmente poderá ser recuperado pelo Luthier (talvez até possa mas não vale a pena). Veja a figura abaixo representando (exageradamente !) um braço torcido. Se notar algo assim, não compre de jeito nenhum !
Braço torcido


  • Mas voltando ainda na questão da concavidade ("braço empenado"), também se notar que a concavidade do braço está exagerada, não compre a guitarra, pois corre o risco do ajuste pelo tensor não ser suficiente. E como saber se a concavidade está exagerada ? É uma coisa difícil para os iniciantes, recomendo tentar o seguinte:
  1. Afine a guitarra com um afinador eletrônico ou peça o vendedor para fazê-lo
  2. Toque corda a corda em todas as casas e observe se tem trastejamento em alguma casa
  3. Pegue uma palheta tipo dunlop jazz III (quem 1,38 mm de espessura). Coloque a guitarra em posição de tocar e ponha palheta entre o 5o traste e a 6a corda (a mais grossa). em uma guitarra bem regulada a palheta deveria ficar "presa". Já se o mesmo teste for feito na 9o traste, a palheta deveria "cair" por entre as cordas. 
Poderia falar várias outras coisas sobre os trastes, nut, etc, mas seria muita informação para um post só ! Futuramente, voltaremos a este assunto. No próximo post, a questão dos famosos "upgrades", até lá e abraços !



16 comentários:

  1. opa, muito obrigada por todas as dicas, estou aprendendo um bocado ! quando me falaram para fugir de guitarras de compensado ou MDF, achei que estavam brincando, mas pelo jeito elas existem mesmo, aiaiai ! só uma coisinha: ali no comecinho, nos tópicos em laranja... "Problemas com o braço são os mais difíceis de resolver, então o ideal é [EVITAR] comprar uma guitarra que tenha esses problemas", certo ? hahahah. beijo !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ôpa, obrigado pela ajuda querida, volte sempre !

      Excluir
  2. tinha mais uns errinhos por aí mas como fiquei lendo até tarde da noite acabei desencanando... ahahahah. poste mais por favor, volto sim !! ehehe

    ResponderExcluir
  3. Man faz um de amplificador, eh o item que o principiante mais se enrola ... tipo vale comprar um valvulado de inicio? da para plugar a guitarra num pedar de overdrive e depois direto nos fones de ouvido? fica a sugestão. Abc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ôpa, vou fazer sim, pode aguardar ! Sou contra comprar valvulado de início, no post vou explicar o porque ! Não dá para ligar fone de ouvido em pedal de overdrive não, a saída dele é muito baixa, mas algumas pedaleiras sim costumam ter saída para headphones sim ! Se vc ainda não tem amp, o melhor é usar a placa de som do seu computador e um programa simulador de amp, como o Guitar Rig, abç ! veja http://www.youtube.com/watch?v=Th62KUWj-w4

      Excluir
  4. Opa, bom dia! Tem como vc me passar seu email? Preciso de uma ajuda! Vlwwww

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucas, nesse link aqui tem o email do blog:

      http://inicianteguitarra.blogspot.com.br/p/declaracao-de-principios-do-blog.html

      Excluir
  5. guitarras woldimam essas de 360 na kabum são aconselhadas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São guitarras adequadas para iniciantes, o modelo telecaster é bem legalzinho, já vi também o modelo firebird e gostei, os outros eu não conheço.

      Excluir
  6. Oque vc me diz da Samick Les Paul de braço parafusado. Quero comprar uma mas to na duvida entre ela ou uma Shelter Strato modelo Falcon California. Na vdd eu quero a Samick Les Paul, mas a duvida do braço me fez olhar essa Shelter Strato tbm.

    ResponderExcluir
  7. Oque vc me diz da Samick Les Paul de braço parafusado. Quero comprar uma mas to na duvida entre ela ou uma Shelter Strato modelo Falcon California. Na vdd eu quero a Samick Les Paul, mas a duvida do braço me fez olhar essa Shelter Strato tbm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, a LP é um projeto baseado em algumas diretrizes, dentre elas, o braço colado. Todo o resto da guitarra está em consonância com essas premissas. Isso não quer dizer que uma LP de braço parafusado seja necessariamente uma guitarra ruim mas ela vai se comportar diferente em aspectos de timbre e sustain. Mas o pior de tudo é que vc mesmo vai ficar com essa questão na cabeça e vai querer trocar de guitarra em muito breve, perdendo dinheiro. Por isso não recomendo.

      Excluir